SAÚDE DAS NASCENTES DE RIOS, MARES E ECOSSISTEMAS NO SUL DE ANGOLA EM DEBATE NO NAMIBE

28.01.2024

Archer Mangueira, eleito padrinho do ambiente no sul de Angola, pela entrega e defesa do ambiente será homenageado no fórum.

Por: Armando Chicoca

António Jerónimo, Ambientalista

O fórum Regional Sul sobre o ambiente, que vai decorrer este ano de 2024, na cidade capital do Namibe mas ainda sem data, segundo o jornalista Jerônimo António, vai refletir sobre a atual situação ambiental (degradante), impondo-se uma correção urgente.

A saúde do mar, das fontes dos rios, das nascentes e todos ecossistemas na região sul e do país no seu todo, estarão no centro das atenções dos debates, bem como uma profunda reflexão sobre as rotas dos animais selvagens, que depois do calar das armas regressam ao seu habitat.

O fórum a realizar-se nos próximos dias na capital da província do Namibe, terá o apoio do governo provincial do Namibe, Voz da América, Associação Cívica NFV, possivelmente também com o apoio e participação da embaixada dos Estados Unidos e da União Europeia em Angola, Omunga, ADRA e provavelmente também com a Nampower, que ainda não confirmou a sua presença, mas ainda mantém-se aberto os apoios de  outras instituições amigas do ambiente, disse o Engenheiro Jerônimo Antônio.

 

Participarão do fórum por direito as delegações do Cunene, Huíla, Cuando Cubango e Namibe, província anfitriã e o “padrinho do evento”.

Também serão convidadas a participar do evento, personalidades amigas do ambiente das províncias de Benguela, Huambo, Bié, Moxico e Lunda Sul.

Ecossistema

Durante o fórum, será destacado e debatido: o estado de saúde da bacia do rio Cunene, ecossistema da Leba e do mar (Namibe), a saúde do rio Kakuluvale, o seu ecossistema e da sua cordilheira de granito negro, que a sua exploração tem aos poucos levado a morte deste rio (Huíla).

A saúde das terras, depressões e pastos do Mukope, Kuroka, Quilengues e a bacia do Kuvelai, sem desprimor de que este rio Kuvelai é o maior fertilizador das terras da província do Cunene e norte da Namíbia.

 

CONSTATAÇÕES PREOCUPANTES

Sobre o rio Cunene, constata-se a morte lenta do rio Tchissole Lomoma, conforme os dados já publicados pela Voz da América em 2021.

Quanto a Leba (Namibe), os ambientalistas têm estado a trabalhar nela, fazendo levantamento desde o ano 2016, e constatou-se o desaparecimento de algumas espécies de répteis, águias, a redução da população de Onças da Leba. As borboletas gigantes também desapareceram da Leba.

Constatou-se igualmente a redução da quantidade de águas que fluia na mesma Leba, segundo Jerónimo Antônio, os estudos preliminares apontam que tudo deveu-se ao facto da exploração das terras numa parte da Humpata e projetos habitacionais sem um estudo independente de impacto ambiental, bem como a desmatação de árvores da Leba para o fabrico de carvão para fins comerciais.

Portanto, há um dossier sobre a Leba denominado “núcleo de PRESLEB”, projeto sobre o ecossistema da Leba, realçou.

Tchipindo, exploração de ouro

A Morte do rio Kakuluvale, deveu-se também à exploração desenfreada do granito, sem o estudo ambiental e sem existir interesse sobre ele. A proliferação de habitações desordenadas ao longo do tempo e a poluição a partir da cidade do Lubango, lixo doméstico e todas as substâncias como óleos das oficinas.

Neste quesito, quase que desapareceu um dos olhos do rio Kakuluvale, olho que está localizado na boca da Humpata próximo do miradouro, sem falar da devastação do ecossistema que protegia as duas margens deste rio de água.

Resumidamente, o fórum do Namibe vai ajudar os ambientalistas de Angola, trazer à tona, uma reflexão séria sobre a necessidade da preservação dos ecossistemas para a saúde do país e ajudar os governantes a combater os crimes ambientais.

 

Ecossistema

As actuais medidas de punição aos crimes ambientais segundo Jerónimo Antônio, não se adequam. Angola deve ser o país no mundo com penas doces que não reprime os criminosos ambientais.

“Devíamos seguir o exemplo da vizinha Namíbia”, disse realçando que ao continuar assim, não desencorajará os agressores do ambiente, conforme também disse muito recentemente o Subprocurador titular da República no Namíbe, a Voz da América, a única província de Angola que me parece  preocupada com o tema do ambiente.

É salutar aqui  saudarmos vivamente o governador Archer Mangueira, pelo grande esforço que a província do Namibe dedica a causa do ambiente.

Neste fórum, vão sair recomendações que visão o legislador, rever a lei sobre os crimes ambientais em Angola, ainda muito branda visando o seu agravamento.

 

Archer Mangueira, Governador da Província do Namibe

De acordo com o Jerónimo Maria Francisco António, o Governador do Namibe pela sua entrega a causa do ambiente nesta região Sul e não só, depois de uma reflexão exaustiva com jornalistas e amigos do ambiente, foi eleito padrinho do ambiente no sul de Angola e neste fórum merecidamente será o homenageado e elevado ao título “Padrinho do Ambiente”. AC

Recentes

NFV FORA D` HORAS 11-04-2024

Noticiário NFV, edição de quinta-feira 11 de Abril de 2024 com os seguintes tópicos: 1 - Advogado David Mendes diz que não se pode combater fome olhando para importação; 2 - Governador do Namibe considera haver ainda muitos casos de Malária na zona norte da província;...

pergunta, sugere, denuncia, contribui

Jornalismo com tempo e profundidade faz-se com a tua participação e apoio.

Share This