NFV FORA D` HORAS 25-03-2024

27.03.2024

Noticiário NFV, edição de segunda-feira, 25 de Março de 2024, com os seguintes tópicos:

1 – Feira agropecuária do Namibe encerra com saldo muito além do previsto;

2 – Casos de Malária no município do Camucuio alarmam governo da província;

3 – Acidentes de viação fez um morto e seis feridos nas últimas setenta e duas horas no Namibe;

4 – Na praia da Baía das Pipas cidadãos estão roubar ninhos das tartarugas;

5 – Angola: Greve da função pública ainda sem sinais de resolução

 

Somos à rádio NFV, coordenação e supervisão de Armando Chicoca, edita Ismael Pena, produção de Domingos Marques, eu sou a Ester Culembe, com apoios do NED e da Open Society.

 

A feira agropecuária e leilão do gado realizada na cidade de Moçâmedes província do Namibe, encerrou neste sábado com um saldo de mais de 42 milhões de Kwanzas, contra os 250 previstos.

O porta-voz do evento, Víctor Panzo que ditou estes números frisou que a atual conjuntura da situação económico que o país atravessa pode estar na base da baixa receita, comparativamente a redução anterior, e apela as instituições financeiras vocacionadas ao financiamento de projetos no sentido de abrirem facilidades ao empresariado.

“O ano passado a cifra foi maior, este ano tivemos uma aflição considerável entendemos a situação que o país está a viver, tivemos aqui os animais presentes mas o constrangimento foram os compradores, este ano tivemos  uma cifra a cima de 42.000.000kz dos 62 lotes aqui que foram apresentados obviamente que de algum modo nos sentimos satisfeito porque termos conseguido realizar esta 2ª edição, nos vamos continuar até ao final do ano na realização destas feiras este movimento agropecuário a nível do país vai continuar, tem estado a crescer os desafios são enormes para a criação de animais a nível do país nós estamos a falar a questões ligadas aos financiamentos concessão de títulos de terra os transportes, tem estado a chover muito durante esse 3 meses do ano, a dificuldade nas vias de comunicação, nas estradas, no transporte do gado, outros desafios que os pecuaristas enfrentam a nível do país tem ver com aquisição das vacinas e outros inputs que dão suporte a essa cadeia, por isso é que é muito importante que as instituições desbloqueiem estes financiamentos, sobretudo o banco de desenvolvimento de Angola que tem a missão de fazer implementação de plano à pecuária para dinamizar a cadeia, desta feita, fazer com que Angola nos próximos anos reduza a importação de carne”.

Victor Panzo, Porta-voz da Organização da Feira agropecuária

As receitas arrecadadas é fruto da comercialização de 283 animais de várias espécies

“Nós tivemos 283 animais vendidos, foram 124 fêmeas e 159 machos estamos a falar de gado bovino, caprino, suínos, aves e também equinos números superior em relação ao ano passado pés embora arrecadação de receita tenha sido reduzido, mas nós vamos continuar, isso é mesmo assim há anos muito bons e outros nem tanto assim, mas esse movimento tem a força de todos produtores de todos pecuaristas e nós agradecemos o governo da província do Namibe pelo apoio e todos que cá marcaram presença de referir que está quase todo país representado aqui, vieram os criadores de animais de Luanda, Benguela, Namibe, Huíla, Cunene, também os donos da casa, daqui do Namibe referencia que Cuanza-Sul também marcou aqui presença, próxima feira será na província, e tem que lançar o convite a todo país estar presente em Maio para fazermos então a feira”.

Victor Panzo, Porta-voz da Organização da Feira agropecuária

Porta voz da feira agro pecuária e leilão de gado encerrado neste em Moçâmedes província do Namibe com mais de oitenta expositores das províncias do Namibe, Huíla, Cunene, Luanda, Benguela e Kwanza-Sul, organizados em cooperativas.

Para o empresário do ramo de restauração, Joaquim Santiago, eventos como este trazem oportunidades de negócios

“Com o leilão é sempre uma oportunidade positiva para o Namibe porque traz-nos a oportunidade de negócio, nós sabemos que anualmente nós temos tido essa grande festa, o leilão de gado em que nós na qualidade de empresários viemos cá para encontrar as grandes oportunidades e interesse naquilo que  é a representação do próprio leilão, por tanto nós temos aqui uma oportunidade de fazer negócio”.

Joaquim Santiago, empresário do ramo de restauração

 

O diretor da agricultura e pescas do Tômbwa Evanilson Bambi, assegurou que nas próximas edições terá maior representatividade.

“Boas, tendo em conta adesão era quase que  regular constante, quase todos nossos produtos foram exatamente comprados  o facto é que tivemos que trazer mais no último dia, tendo em conta que a nossa participação na fera do ano passado e deste ano estamos em bom caminho na nossa produção, então no próximo ano a previsão é de participarmos com mais agricultores, tendo em conta que nós mostramos é possível sim, tiramos o Tômbwa da nossa circuição territorial”.

Evanilson Bambi, diretor da agricultura e da pesca do Tômbwa

 

E o empresário da província do Cunene, Francisco Lumbamba louvou a realização do evento e considera-o como um incentivo.

“Foi um Projeto muito bem estruturado houve muita participação do gado e foi melhor. Em termos económicos nos familiarizamos entre os empresários criadores de gado e dizer que o Namibe está de parabéns. Eles mostrar muito incentivo para que tenhamos vontade de ser pecuaristas, tudo tem um principio e um desenvolvimento, vamos passo a passo e melhorar em cada edição, encontramos o Namibe diferente do anterior, apesar da economia estar mal, obviamente é mundial, mas foi uma participação muito excelente”.

Francisco Lumbamba, empresário da província do Cunene

 

O governador provincial do Namibe Archer Mangueira que encerrou a feira do gado, anunciou a realização da próxima edição para o mês de Agosto deste ano por ocasião do dia da cidade de Moçâmedes.

Archer Mangueira, governador na província do Namibe

“A próxima já será em agosto, como anunciei vamos organizar de tal forma que a participação seja melhor e maior para que possamos comemorar o dia da cidade em grande”.

Governador provincial do Namibe Archer Mangueira quando neste sábado declarava o encerramento da feira agro pecuária.

 

Os casos de Malária aumentam de forma assustador.

O município do Camucuio província do Namibe regista nos últimos tempos um aumento assustador de casos de Malária situação que está a preocupar o governo da província. O Vice-governador do Namibe Abel Kapitango e responsáveis do sector da saúde deslocaram-se na semana finda aquele município onde constaram com preocupação o quadro epidemiológico no hospital local. Aquele responsável advogou na ocasião a necessidade do reforço de medidas de prevenção e combate à doença.

Abel Kapitango, vice-governador do Namibe

“Dentro deste quadro, o quadro que se vive e ações que podem ser desenvolvidas e elas devem estar identificadas, devem constar no plano, só assim vamos chegar no final do dia e dizer, foram eliminados três focos, três criadores de mosquito, quatro, cinco e assim vamos monitorando, vamos tendo indicadores acompanhamento, porque de outra forma não é possível, agora este plano também deve ter o plano de necessidades, se nós elencarmos as ações possíveis a serem desenvolvidas obviamente elas vão demandar meios, e esses meios devem estar quantificados não basta garantia de que vamos mandar meios, mas temos que ter a certeza para fazer face ao quadro que se vive, que meios são necessários, nós ouvimos a fumigação carência de um meio, ou seja de acordo com o que eu percebi, isto tem que fazer parte do plano e tem que se dizer, falta uma carrinha diesel para este efeito, e depois a malta ver para os próximos 15 dias, mas o plano começou hoje é para ser executado nos próximos 15 dias, aliás foi a garantia do diretor, nós temos 15 dias para reverter o quadro, mas temos que ter um plano de ação e esse plano tem que ser validados aqui por todos os serviços especializados do gabinete provincial da saúde obviamente, na nossa visita vimos que o hospital está lotado com risco de colapso, obviamente isso exige mais esforços do ponto de vista de assistência alimentar, aqueles que estão internados precisam de alguma alimentação especial porque é um caso crítico, então vamos trabalhar também neste sentido para que aquelas pessoas que estão hospitalizadas tenham também condições alimentares que lhes permita que saiam deste quadro crítico”.

Os casos de Malária aumentam de forma assustador.

 

Violação sexual, homicídio por negligência e roubos, num total de doze crimes de natureza, foram as ocorrências registadas pela polícia nacional nas últimas setenta e duas horas. O relato da situação da segurança pública é do porta-voz do Comando província, Ernesto Kalianguila.

Ernesto Kalianguila, Porta-voz do Comando provincial do Namibe

” O ponto de vista da criminalidade foram registados doze crimes de natureza diversa, mais sete em relação ao final de semana anterior, tivemos no caso quatro furtos, quatro caso relacionados com a condução sem habilitação, um homicídio negligente  este ocorrido no município da Bibala onde um cidadão ofereceu a esposa uma solução que supostamente levou à morte a senhora, a senhora estava internada talvez o esposo não confiou nos serviços médicos, de forma discreta foi ao hospital ofereceu uma solução que acreditava que ajudaria a senhora a recuperar, mas infelizmente deu inverso, e a senhora acabou por sucumbir momentos depois, o cidadão está detido e foi presente ao ministério público para procedimentos subsequentes. Também tivemos um caso de ofensa grave a integridade física, uma agressão sexual com penetração e o exercício ilegal de profissão para todos eles com um caso cada .O município de Moçâmedes foi superado pelos demais municípios, registou dois crimes, Tômbwa cinco, Bibala quatro, e o Camucuio registou um caso respetivamente”.

 

O movimento rodoviário foi caracterizado por três acidentes de viação com o registo de um morto e seis feridos.

Ernesto Kalianguila, Porta-voz do Comando provincial do Namibe

“Verificou-se o aumento de dois acidentes, em relação ao fim de semana anterior, tivemos o registo de um atropelamento com um morto e três feridos, uma colisão entre motociclo com 2 feridos, e uma colisão entre veículo automóvel e motociclo, refazendo 3 acidentes de viação que causaram 1 morto e 6 feridos, acreditamos ter sido um final de semana apesar de ter havido este, ligeiramente de crime podemos considerar tranquilo sobre o controle das forças policiais”.

Porta-voz do Comando provincial do Namibe da Polícia Nacional Ernesto Kalianguila e o relato da situação de segurança pública referente as últimas setenta e duas horas.

 

Indivíduos ainda não identificados estão a roubar ninhos de tartarugas uma espécie à beira de extinção o abate indiscriminado praticado por alguns pescadores e não só. A denúncia feita à rádio pública é da coordenadora do projeto KITAMBANGA que visa o estudo e conservação de tartarugas marinhas, Denise Neves, que aponta a praia da Baía as Pipas, município de Moçâmedes como local mais vulnerável à esta prática.

“O maior desafio é o trabalhar e o risco que a tartaruga e os ninhos correm com ações humanas, aperdação principalmente por parte da captura das tartarugas quer as fêmeas que vem levar dos próprios ovos, encontramos pessoas principalmente na Baia das Pipas, junto alinha fronteiriça da nossa base com o mucuio, encontramos alguém com já uma fêmea morta retirar carne e ovos da tartaruga para o consumo, isso foi no mês de Dezembro”.

Denise Neves, coordenadora do projeto KITAMBANGA

Denise Neves, coordenadora do projeto KITAMBANGA que visa o estudo e conservação de tartarugas marinhas.

 

Os sindicatos acusam ainda as autoridades de ameaças dos órgãos de repressão em Angola. Os pormenores desta notícia é com Arão Dipa da Voz de América em Luanda.

As centrais sindicais dos trabalhadores condenam a atitude que consideram abusiva dos agentes da polícia nacional na primeira fase da greve geral que está ser apelidada como sendo uma luta pelo resgate da dignidade social dos trabalhadores angolanos.

Vários órgãos de comunicação social relatam o estado de prevenção da policia nacional, com homens e meios nas capitais provinciais para além da presença considerável de forças de baixa visibilidade.

Os sindicatos planejam prosseguir a greve de forma interpolada até ao próximo dia 14 de Junho, caso as negociações com o governo angolano não resultem em consensos que satisfaçam as partes.

De acordo com as centrais sindicais, um dos objetivos da greve geral, tem que ver com a revisão salarial de toda função pública na ordem dos 250% de modo a corresponder ao custo de vida, tendo em consideração a inflação acumulada. Um outro objetivo está relacionado com a atualização do salário mínimo nacional na ordem dos 245 mil kwanzas, o equivalente a 300 dólares americanos.

No entanto, o governo angolano considera sonhadora a proposta das centrais sindicais, embora já tenha reduzido esse valor para os 100 mil kwanzas, na sequência dos encontros já realizados e sem uma previsão para próximas negociações.

A greve convocada pelas centrais sindicais, é motivo de conversas que dominam os bastidores um pouco por todo o país. Nas redes sociais, cada internauta procura marcar a sua posição em defesa da sua condição social. Muitos angolanos questionam o descuido do governo com os sinais de riqueza que ostentam os seus membros.

As enormes delegações oficiais e seus gastos milionários, carros luxuosos para os governantes e deputados, numa altura em que os níveis de pobreza não param de aumentar entre a maioria da população, são outros pontos mencionados pelos grevistas e por cidadãos nas redes sociais.

O presidente do sindicato nacional dos médicos de Angola denuncia a ocorrência de muita pressão contra os trabalhadores. Adriano Manuel fala igualmente da precária situação de sobrevivência que marca a vida dos angolanos.

“O objetivo é perseguir o governo a melhorar as condições sociais dos trabalhadores, o que nós temos estado a observar atualmente no nosso país, é uma componente estrema onde vamos observando pessoas a mendigarem, trabalhadores que não conseguem com salário mínimo se quer sobreviver”.

O governo angolano continua firme na sua posição e reitera que as proposta das centrais sindicais, não é sustentável do ponto de vista económico. Em declarações à televisão pública de Angola, o diretor nacional do emprego, o economista António Estote justificou a posição do governo. António Estote apontou algumas soluções que do ponto de vista do governo angolano, podem promover algum equilíbrio sem grandes consequências quer para o governo como para as centras sindicais

“No curto prazo é fazer aumentos graduais, aumentos pontuais não nas mediações que os sindicatos apresentam porque, quando se aumenta o salário  existe o princípio da não retroatividade, se nós aumentarmos o salário mínimo a 245 mil kwanzas  nós não vamos poder recuar, se por acaso o efeito for contrário. Por tanto o que é recomendado mesmo a nível das nações internacionais  e a OIT é muito clara nisso, se nós aumentarmos o salário mínimo para um nível e voltarmos a recuar, podemos ser sancionados”.

Para falar sobre o assunto, ouvimos o presidente do sindicato nacional dos médicos de Angola, Adriano Manuel, o diretor nacional do emprego, António Estote e o economista Carlos Rosado de Carvalho. Ouça a reportagem aqui

Peça de Arão Dipa, correspondente da Voz da América em Luanda

Após três dias de greve à escala nacional da função pública angolana não há qualquer sinal que o governo esteja prestes a ceder às exigências dos sindicatos que dizem estar a lutar pelo resgate da dignidade social dos trabalhadores.

Recentes

NFV FORA D` HORAS 11-04-2024

Noticiário NFV, edição de quinta-feira 11 de Abril de 2024 com os seguintes tópicos: 1 - Advogado David Mendes diz que não se pode combater fome olhando para importação; 2 - Governador do Namibe considera haver ainda muitos casos de Malária na zona norte da província;...

pergunta, sugere, denuncia, contribui

Jornalismo com tempo e profundidade faz-se com a tua participação e apoio.

Share This