NFV FORA D` HORAS 14-05-2024

14.05.2024

Noticiário NFV, edição de terça-feira dia 14 de Maio de 2024 com os seguintes tópicos:

1 – Namibe: hospital materno infantil clama por apoios em medicamentos e material gastável;

2 – Ministério do Ambiente advoga penas mais severas para mentores de crimes ambientais;

3 – Turismo no Namibe carece de infraestruturas hoteleiras e similares;

4 – Huambo: Arcebispo apela ao uso responsável das redes sociais;

5 – PGR de Angola em Genebra, em “esforço” para recuperar ativos do Estado desviados por corrupção.

 

Somos à rádio NFV, coordenação e supervisão de Armando Chicoca, edita Esmael Pena, produção de Domingos Marques, eu sou o Dino Manuel, com apoios do NED e da Open Society.

 

O provincial materno infantil do Namibe, recebeu esta semana um lote de medicamentos e material gastável diverso, uma doação do partido MPLA nesta província. A entrega foi feita pela Secretária do departamento para assuntos eleitorais, económico e social, Maria Natália de Carvalho, que na ocasião explicou o que descreveu de um gesto solidário do seu partido.

Maria Natália de Carvalho, Secretária do departamento para assuntos eleitorais, económico e social

 

E o diretor-geral do materno infantil, Pedro Viyayauka, disse que a doação chegou num momento em que aquela unidade hospitalar, debate-se com os casos de Malária e outras doenças.

 Pedro Viyayauka, Diretor-geral do materno infantil

 

O Secretário de Estado do Ambiente defendeu no Namibe, a implementação de penas mais severas que vão de um (1) a cinco (5) anos de prisão, para os responsáveis pelos crimes ambientais. Yuri dos Santos proferiu estas palavras durante o seminário metodológico, sobre gestão dos resíduos sólidos realizado segunda-feira última, na cidade de Moçâmedes.

Yuri dos Santos, Secretário de Estado do Ambiente

O Secretário de Estado do Ambiente, Yuri dos Santos defende no Namibe a implementação de penas mais severas que vão de um (1) a cinco(5) anos de prisão para os responsáveis pelos crimes ambientais.

 

Ema da Silva, Vice-governadora para Área Técnica e Infraestruturas do Namibe

A Vice-governadora do Namibe para Área Técnica e Infraestruturas do Namibe, Ema da Silva, reconheceu que a província não dispõe de infraestruturas suficientes para impulsionar o sector turístico, e ressaltou o município de Moçâmedes que com quatrocentos e setenta e um (471) estabelecimentos, distinguidos entre hotéis, hospedarias, pensões, alojamentos, aldeamentos entre outros.

 

Turismo no Namibe, carece de infraestruturas, disse a vice-governadora Ema da Silva.

 

O arcebispo emérito do Huambo, dom José de Queirós Alves, apelou, domingo último, ao uso responsável das redes sociais, enquanto meios de comunicação, educação e moralização social.

Na homilia da visita pastoral ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, da cidade do Huambo, o prelado afirmou que virou moda seguir o ridículo nas redes sociais, e que as pessoas estão mais atentas a seguir os autores de práticas negativas, ao contrário das coisas que constrõem a pessoa humana.

Dom José de Queirós Alves, Arcebispo emérito do Huambo

Dom José de Queirós Alves, referiu que os mesmos devem aproveitar o melhor das redes sociais, e não para o pior, como difundir mensagens de acusações e intrigas, numa altura em que a comunicação social assume um papel de grande responsabilidade, junto da sociedade.

Disse que o mundo hoje tem sob sua disposição, um valioso e poderoso instrumento de comunicação, que deveria tornar-se numa escola e servir sobretudo, para formação e informação, de forma célere a toda sociedade.

O prelado católico, disse que a igreja vai continuar a cumprir a sua missão baseada no anúncio do Evangelho, e na promoção do bem-estar social do homem, que constitui a base fundamental da Igreja.

 

A Procuradoria Geral da República de Angola em Genebra, envidou esforços para recuperar ativos do Estado, desviados por corrupção. A viagem acontece devido à dificuldade das autoridades angolanas, em recuperar os 900 milhões de dólares pertencentes ao empresário Carlos São Vicente, que foram congelados pelas autoridades suíças. Edson Fela tem outros detalhes.

Carlos São Vicente, empresário

O empresário angolano foi condenado em Março de 2022 a nove anos de prisão pelos crimes de peculato, fraude fiscal e branqueamento de capitais e ao pagamento de uma indemnização de 500 milhões de dólares. O órgão decidiu que as autoridades suíças não podem cooperar com Angola antes de avaliarem a possibilidade e efetividade de obterem várias garantias diplomáticas do país, em particular no que diz respeito à independência e imparcialidade dos tribunais, e o cumprimento dos direitos processuais de São Vicente.

 

A decisão do Supremo Tribunal significa que todos os bens e fundos de São Vicente na Suíça não podem ser entregues a Angola.

Lindo Bernardo Tito, Jurista

Juristas ouvidos pela Voz da América divergem sobre o peso que a decisão do Supremo Tribunal suíço tem em relação ao memorando de entendimento assinado entre os dois governos.

O jurista Lindo Bernardo Tito começa por afirmar ser “difícil a recuperação de todos os ativos angolanos por haver interesses, nesses fundos, dos países onde se encontram domiciliados”. Para o caso dos ativos do empresário Carlos São Vicente, o jurista considera que “vai ser muito difícil” a sua recuperação, devido à intervenção da justiça suíça e de algumas instâncias internacionais no processo que resultou na sua condenação.

Peça do Edon Fela, Jornalista do NFV

E com esta notícia colocamos ponto final no jornal NFV, edição de terça-feira dia 14 de Maio de 2024. Recebam o forte abraço à distância de Dino Manuel.

Recentes

NFV FORA D` HORAS 14-06-2024

Noticiário NFV, edição de sexta-feira dia 14 de Junho de 2024 com os seguintes tópicos: 1 - Namibe: Comunidade albinista clama por fim de discriminação e esclusão social; 2 - Empresários namibianos do ramo de turismo querem investir no Namibe; 3 - Refugiados da RDC...

pergunta, sugere, denuncia, contribui

Jornalismo com tempo e profundidade faz-se com a tua participação e apoio.

Share This